Hoje quem escreve é Ângelo Franzão: Almoçando Juntos

O Ângelo Franzão era VP Diretor Nacional de Mídia, um grande colega com quem eu e Helena Quadrado (VP Diretora de Pesquisa e Planejamento) dividimos uma grande sala por muitos anos. Cross-fertilizaton, como diziam os gringos, se bem que fomos nós que inventamos essa suruba profissional na prática da McCann-Brasil desde o fim dos anos 80.

Mais importante, o Ângelo é até hoje um imenso amigo. Um imenso amigo que se esmera em vestir-se bem, até pela função, os encontros, palestras, eventos, coquetéis, almoços e jantares.

Ternos encomendados sob medida, impecavelmente cortados, gravatas Gucci ou YSL, sapatos de cromo alemão, barba esculturalmente aparada. Um lorde.

Foi o Ângelo que me lembrou do dia em que tivemos um almoço importante, uma ideia inédita para a Rede Globo e os clientes, pra fecharmos um grande negócio para todos.

A Black & Decker e a GE queriam comunicar a fusão de suas marcas em uma das divisões de eletrodomésticos. Ângelo e eu concebemos um plano genial, que nasceu na Mídia e na Criação, em conjunto e ao mesmo tempo. Ou sei lá onde nasceu. Para isso, precisaríamos da parceria da Rede Globo. Mas esse é um outro Causo, que fica pra uma próxima vez – como dizia Júlio Gouveia.

É o Ângelo que conta:

“Íamos, Perci e eu, pra um almoço decisivo no badalado, chic e então exclusivo restaurante Roma, aquele que ficava ali no entroncamento da Avenida Cidade Jardim com Avenida Faria Lima e Avenida 9 de Julho. Hoje não existe mais, mas este fato aconteceu em 1992.

Perci dirigia seu Omega, uma joia top de linha, recém- lançado no Brasil há poucas semanas. Até então, só tinha um carro assim quem nadava em dinheiro ou o havia ganho em concurso de Natal de shopping centers, comuns na época. Eu, humilde Ângelo, ia no banco do passageiro, ao lado.

Paramos na suntuosa entrada do restaurante. Um recepcionista abriu a minha porta e, todo cheio de mesura, me desejou boa tarde e um bom almoço. Desci.

Eu parecia o patrão magnânimo, que sentava na frente com o motorista.

Quando o Perci ameaçou sair do carro, de jeans, camisa branca e tênis, o recepcionista o brecou: “Não, você estaciona o carro ali na rua de trás e espera”.

Eu saí da compostura de patrão e caí na gargalhada. No maior bom humor, Perci respondeu: “Vamos fazer o seguinte. Você estaciona o meu carro lá na rua de trás e volta. Pode até almoçar conosco, já que está bem mais arrumadinho que eu”.

O Perci jogou a chave para o recepcionista e entramos no Roma. Foi um belo almoço a paisana”.

Comentários

4 comentários

  1. João

    Kkkkk essa dupla tem várias histórias boas!!!!

    Responder

    1. Percival Caropreso

      João, essa é apenas uma delas. Um abraço. Perci

      Responder

  2. Lu Coelho

    Perci também um lord, com tiradas magníficas, a cara do manobrista deve ter sido a melhor!

    Responder

    1. Percival Caropreso

      Lu, quase que o manobrista veio almoçar com a gente, por vergonha. Beijo. Perci

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *