AS HIENAS ESTÃO À SOLTA: TEMPORADA 2 (A PARTIR DE CRIS DEL NERO)

Pra quem não leu a primeira temporada de “As Hienas estão à solta”, explico que Hienas são frases bizarras, capturadas no dia a dia da agência na relação interna e com seus parceiros.

Frases que, fora do contexto em que foram cometidas, parecem bobagens. Outras, são bobagens mesmo, por elas mesmas. Enfim, as Hienas todas são tolices que divertem.

Pelo retorno que recebi no Blog, muita gente gostou e se viu retratada na TEMPORADA 1 das Hienas (se alguém perdeu, vale a pena buscar no Blog a Primeira Temporada).

Aqui começa a Segunda Temporada com uma Hiena de minha própria autoria, capturada tardiamente por mim mesmo no post da Primeira Temporada.

Eu escrevi “Divirtam-se com esta primeira manada de Hienas.”

Errado. Hienas andam em bandos, chamados de matilhas ou alcateias.

Agora a Cris del Nero vai contar mais algumas outras Hienas antigas, que ela veio caçando no dia a dia da agência McCann-Erickson.

“Eu tô fazendo de tudo pra acalmar o mercado. Já mandei a minha filha abaixar o som.” (Criação)

“Você pode escolher todas as cores, mas só tem branco.” (Cliente)

“Eu criei uma campanha legal com os 7 Mandamentos.” (Criação)

“Está na hora de começar a introduzir na mãe.” (Cliente)

“Meu, a gente se conhece tanto e há tanto tempo, que já faz xixi de perna aberta.” (RTV)

“Isto é um absurdo pelo absurdo. Só vale, se for um absurdo que faça sentido.” (Cliente)

“À noite o cara tem que voltar para a prisão. Ele é um preso alienado.” (Criação)

“Precisamos criar alguma coisa estática, mas que seja dinâmica.” (Cliente)

“Ele só gagueja quando tem que falar.” (Atendimento)

“Temos que tomar uma decisão anterior.” (Cliente)

“A reunião foi metade em inglês, metade em espanhol e metade em português.” (Atendimento)

“Temos que introduzir o biscoito nas donas de casa.” (Cliente)

“A estrada era sunuosa, ou melhor, suntuosa … ai, meu caralho, ela era toda curvada”. (Criação)

“Precisa ter um elemento incomum, apesar de ser bem comum, que marque a campanha.” (Cliente)

“Corria o ano de 1959. O Brasil crescia 5 anos em 5.” (Criação)

“Mas que música nós vamos gravar do outro lado do cd?” (Cliente)

“Nós vamos fazer um abaixo assinado anônimo.” (Atendimento)

“Vou te mandar a referência de cor por fax.” (Cliente – e o pior é que ele mandou mesmo)

“Ainda não é outono, mas não param de cair folhas na minha mesa pra eu assinar!!” (Gerência da Agência)

“Dá pra aumentar o logotipo nesse spot de rádio?” (Cliente)

“Mandaram fazer autópsia pra provar que o cara não morreu.” (Atendimento)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *