AS HIENAS ESTÃO À SOLTA: TEMPORADA 1 (A PARTIR DE CRIS DEL NERO)

Quando voltei à McCann pela quarta e última vez, em 1991, me deparei com a Cris del Nero. Pouco mais de um metro e meio de talento, ironia, sarcasmo e um gênio briguento. Excelente criadora e redatora.

De cara, trombamos de frente. Descobri que eram dela umas brincadeiras provocadoras espalhadas pela agência, comentários, opiniões, textos sódicos e sádicos. Mas todos muito bons.

Só que eu, chegando como Gerente Geral e Diretor de Criação, ingenuamente acreditei que aquilo roubava horas de trabalho da Cris e da turma que se divertia com os textos.

Logo descobri que aquelas brincadeiras da Cris energizavam a equipe de Criação e a agência toda. Além de desopilar e energizar a própria Cris.

É ela que conta um pouco e uma parte desses textos:

“Nos anos 80, assim que comecei a trabalhar na Standard Ogilvy, o quê mais me chamou a atenção foram uns post-its colados nas paredes da Criação.

Eram frases absurdas e engraçadas, chamadas de Hienas de Arame, uma referência irônica aos Leões de Cannes, tão sonhados pela maioria.

Imediatamente, entrei na história, ajudando o pessoal da Standard a coletar essas besteiras ditas e escritas por todo mundo no dia a dia da agência.

Depois soube que a Hiena tinha sido ideia do Ivan Rotundo, redator da Standard e que também havia trabalhado na McCann bem antes de mim.

Depois, quis o destino que eu passasse boa parte da minha vida como redatora da McCann e é claro que eu levei as Hienas comigo.

Foi um sucesso total, as pessoas até entregavam as próprias besteiras e, em pouco tempo, eu tinha centenas de Hienas guardadas. Elas viraram até um livrinho e um pôster, feitos por mim e pela Gabriela Guerra.

Agora elas estão de volta. São Hienas capturadas em reuniões ou tiradas de e-mails, briefings, conversas, telefonemas, etc. Afinal, as Hienas foram responsáveis pela criação de uma válvula de escape, numa profissão que deixa a gente louco, mas que no fundo a gente adora.

Divirtam-se com esta primeira manada de Hienas:

“Quero que vocês façam um anúncio com o mapa do Brasil na horizontal.”(cliente)

“Este é um ano de vacas anoréxicas.” (RTV)

“O importante não é rejuvenescer a imagem. É tornar mais jovem.” (cliente)

“A idiotice é uma espécie de pós-graduação da burrice.” (Criação)

“Eu não tenho um tipo preferido de homem. Eu tenho pressa.” (Atendimento)

“Não vejo nenhuma relação entre terra e campo.” (Cliente)

“Eu estou marcando a reunião para domingo às 18h, que é pra não atrapalhar o fim de semana de vocês.” (Presidente da Agência)

Quero fazer uma ação de merchandising no programa “Vale a pena ver de novo”. (Cliente)

“A água estava zero grau abaixo de zero.” (Atendimento)

“Quero desconto regressivo em cima do aumento que não houve.” (Cliente)

“Sabia que o Tiranossauro Répteis é um réptil?” (Atendimento)

“Não leve em consideração os pedidos do cliente.” (Cliente)

“Eu vou dar uma festa tão boa que vai dar até reunião de condomínio.” (Criação)

“Vocês têm que fazer um anúncio que não pode falar nada, mas os caras têm que entender tudo.” (Cliente)

“Ô, rapaz, é mesmo! Aquele jogo foi inesquecível, eu nem me lembrava mais.” (Criação)

“Está na hora de começar a introduzir na mãe.” (Cliente).

Este é só o começo. Não perca a TEMPORADA 2 das HIENAS, logo mais!